Pesquisar:
Login: Senha:
Cadastro
Cadastro
| Home
Home
| Mapa do Site
Mapa
| Contato
Contato
| Carrinho
Carrinho

Amídalas e adenóides
 
No Brasil são feitas em torno de 200.000 cirurgias das amígdalas e das adenóides. É ainda a segunda cirurgia mais realizada em crianças no mundo e não é raro adultos também precisam de amigdalectomia (o nome técnico da cirurgia).

Estas cirurgias não são tão recomendadas como antigamente, antes de existirem antibióticos tão eficazes mas é ainda uma cirurgia que melhora muito a saúde de crianças e adultos quando corretamente indicada.

O que são amígdalas e adenóides e para que servem ?

Amígdalas e adenóides são compostas de um tecido parecido com os dos linfonodos ou “gânglios” ou ainda popularmente conhecidos como “ínguas” que encontramos as vezes no pescoço, axilas ou virilha.

Elas são parte de um “anel” de tecido glandular que envolve internamente a garganta.

As adenóides estão localizadas na parte superior da garganta no fundo do nariz por onde passa o ar que respiramos pelo nariz, portanto não é visível pela boca sem instrumentos especiais.

As amígdalas são 2 massas de tecido de cada lado da garganta no fundo da boca.

Elas estão estrategicamente localizadas perto das entradas do ar que respiramos e podem facilmente ser infectadas por vírus ou bactérias que vem com o ar. É através disso que elas ajudam a formar anticorpos contra esses germes como parte do nosso chamado sistema imunológico para resistirmos a futuras infecções. Esta função é realizada nos primeiros anos de vida e vai se tornando menos importante quando a criança vai ficando mais velha.

Não há evidências de que as amígdalas e adenóides são importantes após os 3 anos de idade. Estudos com milhares de crianças que fizeram cirurgias de amígdalas mostraram que as mesmas sofreram menos infecções em geral do que crianças que não foram operadas, pois às vezes elas passam a se tornar focos de infecção que agridem e debilitam o organismo.

Existe um mito popular de que elas “filtram” as bactérias, o que não é verdade.

Quais são as doenças que afetam as amígdalas e as adenóides?

Os problemas mais comuns são as infecções, causando dor de garganta, aumento das amígdalas e adenóides (dificultando a respiração e deglutição). Ocorre mais na criança mais pode ocorrer no adulto também. Amigdalite crônica, infecção das criptas (cavidades nas amígdalas) produzem um material branco com mau cheiro chamado caseo, produzindo mau hálito.

As adenóides grandes ocorrem quase que exclusivamente em crianças pois após a puberdade normalmente as adenóides regridem de tamanho.

As adenóides grandes causam obstrução nasal e podem levar a criança a dormir com a boca aberta roncando a noite e levando a alterações na arcada dentária (dentes de cima projetados para frente) pela respiração bucal. Isto pode levar a criança a ter problemas no ouvido (otite serosa e infecções no ouvido) e mais problemas de infecções de garganta e pulmão.

Quando é preciso consultar um médico ?

Quando seu filho(a) tem sintomas de aumento de amigadas e adenóides :

Muitas infecções de garganta com febre. Mau hálito forte Nariz entupido Respira pela boca Ronco Sono agitado

Como as doenças das amígdalas e adenóides são tratadas ?

Seu médico especialista vai poder orientá-lo mas usualmente as infecções por bactérias são inicialmente tratadas com antibióticos específicos.

Se persistir o problema seu médico pode ter que indicar a retirada das amígdalas e/ou adenóides.

Como deve se preparar as crianças para a cirurgia?

Os pais devem discutir fracamente com a criança que ela vai ser operada e que o médico está fazendo isso para fazê-la ficar com mais saúde. Deve ficar mais com ela antes e depois da cirurgia e avisá-la de que ela não vai sentir nada antes ou durante a cirurgia mas que depois vai sentir um pouco de dor e dificuldade para engolir, mas que tomando remédio melhora.

Duas semanas antes da cirurgia a criança não deve tomar aspirina e avisar ao médico qualquer outro remédio que tiver que tomar.

Na noite antes da cirurgia deve ficar em jejum a partir da meia noite e não tomar água nem comer nada (inclusive mascar chicletes, escovar dentes etc...). Se sem querer estas restrições forem quebradas a cirurgia terá que ser suspensa pois é perigoso tomar anestesia com algo no estômago.

O médico normalmente pede alguns exames de sangue antes da cirurgia. A maioria das vezes o médico dá alta no mesmo dia da cirurgia, ou no máximo o dia seguinte.

Após a cirurgia a criança deve ficar em repouso relativo em casa, por 5 dias.

Alimentação:

- Nos 3 primeiros dias líquidos a vontade (água, refrigerantes, sucos, vitaminas de frutas), sorvete de massa batido e tomado na colher, iogurtes etc... Tudo deve ser tomado frio.

- Depois disso começar a engrossar os alimentos de acordo com a aceitação da criança (sopas, macarrão bem cozido-mole, pão de forma etc...)
- Batata frita, pão de casca, bolachas devem ser dados somente após 7 dias.
- Se tiver dor ou febre seu médico irá deixar um remédio prescrito para isso.
- Pode ocorrer vômitos após a cirurgia e dores de ouvido, isto é normal.
- Se ocorrer sangramento vivo contínuo, avise imediatamente seu médico.
Copyright © 2006/2014 - Fundação Otorrinolaringologia - All rights reserved. GN1 - Genesis Network